Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/ieab/www/dab/wp-includes/cache.php on line 36

Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/ieab/www/dab/wp-includes/query.php on line 21

Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/ieab/www/dab/wp-includes/theme.php on line 540
JORNADA ECUMÊNICA DO CERRADO – JECO | Diocese Anglicana de Brasília

anglicanos-_jeco.jpg

(*)  pelo Reverendo Elias Mayer Vergara, ost

 

            Falar sobre a Jornada Ecumênica do Cerrado, que ocorreu nos dias 09/10 e 11 de outubro de 2009, na cidade de Hidrolândia-GO, é falar de uma EXPERIÊNCIA com letras maiúsculas, dentro do campo do ecumenismo brasileiro. Assim sendo tem a força e a limitação do sentimento de quem escreve.

            Nosso tema maior foi: Diálogos e Direitos que deu o tom de nosso projeto ecumênico. Nosso desafio foi dialogar em busca de nossos direitos como cidadãos, como jovens, como crianças, como idosos, como natureza que somos. Então o ecumenismo que buscamos precisa antes de mais nada, ser construído a partir das trocas que fazemos com os diferentes de nós. Assim a luta pelos direitos foi ganhando a adesão coletiva dos que conseguiram dialogar.

            Nosso lema: “na casa de meu pai há muitas moradas” (João 14,2), abriu as portas para o entendimento bíblico de que no plano da salvação, há lugar para todos e todas, independente de nossas crenças, cor de nossa pele, opção política partidária, orientação sexual, etc.. A casa do Pai também foi interpretada como a grande casa que abriga toda a humanidade: o planeta terra! E aqui nos inserimos na casa mais próxima na qual moramos no Centro Oeste, que é o bioma Cerrado. Assim o Ecumenismo deu as mãos para a ecologia e os jornadeiros  e jornadeiras começaram a sua experiência de dialogo, com as pessoas de diferentes idades, com outras tradições religiosas (anglicanos, assembleianos, batistas, católicos romanos, luteranos, ortodoxos sirianos, pentecostais, doutrina espírita e o candomblé), também  com os movimentos sociais e com toda a diversidades ecológica do Cerrado, que nunca antes tiveram diante de si.

            Nossa JECO foi embalada pela metodologia vivencial celebrativa, onde o conhecimento passa pelas emoções, pela dança, pelo corpo e não apenas pelo nosso intelecto. Então não se teve a preocupação em produzir relatórios e ninguém estava preocupado em fazer anotações, pois o ecumenismo, mais do que palavras, foi vivenciado na mística das celebrações (na grande tenda da humanidade), nos encontros com os grandes mestres e mestras que vieram de longe e outros de nossa terra, que nos falaram sobre ecologia, Bíblia, direitos e ecumenismo. Depois de ganhar estes saberes, nos reunimos em pequenas tendas (do ar, da água, da terra, do fogo, das plantas, dos animais) e continuávamos os diálogos, agora em um grupo menor, onde a partir do tema de cada tenda, tentávamos recriar nossos conhecimentos. Os diálogos continuavam nas horinhas livres de brincadeiras na piscina, no jogo de vôlei e de futebol, e nas conversas da madrugada no bar improvisado.

            O Cerrado como nossa casa menor dentro do planeta terra, foi vivenciado de forma especial pelo som de raiz que nos trouxe o grupo Passarinhos do Cerrado, integrado por lindos jovens que fazem pesquisa muito profunda para resgatar valores culturais regionais. Com o ritmo do “coco” e da “ciranda”, e com o forte som de seus tambores, colocaram todos os jornadeiros e jornadeiras para dançar e brincar com a cultura que nos vem dos negros dos quilombos e das aldeias de nossos índios. O Cerrado também se fez presente na culinária do arroz com piqui e da pamonha, também no sabor dos picolés dos frutos da terra, na natureza abundante do local do encontro, e principalmente na visita ao museu Memorial do Cerrado

            Assim depois de dois dias intensos de vivências ecumênicas, assumimos alguns compromissos: 1. A Rede Ecumênica da Juventude (REJU) foi formada para o Centro Oeste e fez a leitura da Carta contra toda a violência à juventude do Brasil, como seu principal compromisso . 2. O Grupo de Ecologia assumiu o compromisso de assinar e divulgar o abaixo assinado em favor da  Proposta de Emenda a Constituição (PEC 115/150) com o objetivo garantir ao Cerrado e Caatinga, o status de “Patrimônio Nacional”. 3. No Grupo de Vivência Ecumênica de Goiânia, foi assumido o compromisso de apoiar  a juventude em seus projetos e participar intensamente da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2010. 4. No grupo de Bíblia foi assumido o compromisso de fortalecer ecumenicamente o Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos (GO e DF) e o Curso de Verão.

            Esta Jornada teve o apoio financeiro da CESE e da REJU. Em sua promoção, o Grupo de Vivência Ecumênica de Goiânia, a Casa da Juventude, o CEBI – DF e GO, o Centro Cultural Cara Video, o Curso de Verão, a CRB e a Fundação Aroeira. A coordenação deste projeto esteve a cargo de um grupo de 9 pessoas representando seis tradições religiosas e as entidades promotoras. Para ampliar a sua compreensão deste projeto ecumênico, visite estes espaços:

             

             Casa onde ocorreu a JECO:                             www.cursoseretiroscapuchinhos.com.br

             Memorial do Cerrado:                                      http://www2.ucg.br/flash/Memo.html

             Entre em nosso blog e dê sua opinião                www.ecumenismogoiania.blogspot.com

 

(*) O Reverendo Elias MV é um dos nove componentes da coordenação da Jornada Ecumênica do Cerrado,  e é pároco da Paróquia São Felipe – Goiânia/GO)